Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘cat power’

Vamos brincar de comparar, gente?

Olha só a música Good Clean Fun, da Cat Power, e D7, cover do Nirvana para a faixa do The Wipers.

Quem diria?

Read Full Post »

A Binki Shapiro, do Little Joy, criou há um tempinho já uma iniciativa beneficente em prol das vítimas do terremoto no Haiti. Intitulado Crafts For a Cause, o projeto reúne diversas músicos criando pequenos “mimos” personalizados para um leilão, com renda revertida para a organização sem fins lucrativos Artists for Peace and Justice.

Entre os participantes, Vampire Weekend, Norah Jones, Regina Spektor, Fleet Foxes, No Doubt, Daft Punk, Kings of Leon, Feist e a linda, linda Chan Marshall. Dá só uma olhada nas fotos dela que estão à venda no leilão, além da contribuição da cantora para o leilão de Binki Shapiro:

Read Full Post »

Uma versão poderosa de Back of Your Head, do álbum Moon Pix, retirada do DVD Speaking For Trees, e Names, do álbum You Are Free.

Read Full Post »

1. Provavelmente todo mundo ficou sabendo do ataque pirata à uma embarcação na Somália. As manchetes nos jornais e da Internet são, no mínimo, curiosos, porque parecem estar falando de um capítulo de Piratas do Caribe. O Uol, ontem a noite, tinha na capa a manchete “Piratas atiram em navios da Marinha Americana”. Por mais que a gente tente não deixar engraçado, falar de piratas, roubo de navios e marinha americana é uma daquelas situações que o fait-diver fala por si próprio…

____________________________________________________________

motomix2008

2. O Lúcio Ribeiro deu a entender em seu blog que não vai ter Motomix este ano, o ótimo festival gratuito que trouxe no ano passado atrações como The Go Team!, Metric e Fujiya & Myagi para o Ibirapuera. Curiosamente, entretanto, o evento já tem site oficial, e algumas fontes afirmam que o festival vem com tudo em 2009. Será? Porque estamos precisando, principalmente depois do fim do Tim Festival

____________________________________________________________

catpoweragoodwoman

3. Descobri ontem que a jornalista Elizabeth Goodman escreveu uma biografia da Cat Power. O livro, chamado Cat Power: A Good Woman, foi difícil de escrever, já que a cantora não colaborou tanto quanto a jornalista esperava. Em entrevista, afirmou que esperava que Chan Marshall, exatamente por expressar em suas músicas suas frustrações e tristezas de maneira tão franca, seria igualmente eloquente em seus depoimentos para o livro. Engano óbvio – tão óbvio, aliás, que me faz pensar como uma jornalista experiente possa ter acreditado que sua fonte concordaria tão facilmente em ser personagem de repente. Porque jornalista costuma saber muito bem que personagem ideal para perfis e biografias é personagem morto. Quando eu ler o livro, falo mais.

____________________________________________________________

4. Voltando pro Radiohead, dou a dica para quem quiser ver algo incrível: procurem no Youtube – não vou colocar os links para não apagarem – a apresentação Live in The Basement, que reúne interpretações incríveis de Videotape, 15 Steps, Bodysnatchers, The Gloaming, Last Flowers (do álbum extra do In Rainbows), All I Need, entre outras. Tem até Thom Yorke interpretando Analyse, de seu álbum solo The Eraser. Lindo.

____________________________________________________________

franzferdinand

5. Muita gente já fez cover de Womanizer, da Britney: Lily Allen, Ladyhawke, All American Rejects, etc. Agora o Franz Ferdinand entrou na onda – mas não devia, porque ficou horrível. Nem consigo dar risada com essa versão, porque mal dá pra ouvir até o fim. Fico mesmo com Lily Allen (que em uma de suas últimas apresentações chamou Lindsay Lohan pro palco cantar Womanizer com ela) e Ladywahke (que deixou a música de Britney mais misteriosa e chique).

Só cinco hoje =)

Read Full Post »

Existe um momento perfeito para cada música da Cat Power

Existe um momento perfeito para cada música da Cat Power

Tenho uma teoria pessoal: cada momento da nossa vida tem uma trilha sonora perfeita. Sabe aquele dia no qual tudo dá errado e quando você finalmente está voltando para casa, tropeça no metrô lotado e dá vexame? Pois é. Faltava a trilha de abertura do Monty Phyton Flying Circus. E aquele dia no qual tudo deu certo, e você realmente achou que o inferno astral tinha terminado? Faltava algo como Jóga, da Bjork, do show em Cambdrige, para explicar o sentimento de transcendência. E naquelas noites no qual tudo parece perdido, nada melhor do que uma sessão de The Dodos para restaurar a fé na humanidade.

Descobrir as músicas capazes de trazer o ânimo de volta é uma arte. Assim como é arte descobrir quais as músicas certas para aqueles dias nos quais o que você quer é mergulhar no fundo do poço e deixar a tristeza tomar conta. Nessas horas, o álbum Moonpix, da Cat Power, não falha. Principalmente se for acompanhado por álcool, reflexão e cigarros. Mas uma coisa que eu nunca havia conseguido fazer é definir uma trilha sonora perfeita para um dia todo. Incrivelmente, hoje deu certo.

Em um dia absurdamente quente, com sol a pino e mais de 30 graus na cabeça, resolvi tentar Gorrion, de Juan Serrano, música que faz parte da trilha sonora do filme Vicky Cristina Barcelona. Nossa, como deu certo. A confiança sobe absurdamente, enquanto você caminha pela Avenida Paulista imaginando que está saracoteando em Barcelona. Os cabelos voam, a sensação é de frescor – porque uma música bem escolhida faz a gente esquecer até o calor.

Noites de dias quentes costumam ser abafadas. E em época de Natal, um horror para quem está na rua – uma avenida lotada de enfeites de Natal que ficam mais extravagantes a cada metro não é bem um convite para uma caminhada agradável. Mas existe um antídoto para toda essa megalomania de final de ano:

Você nunca mais vai olhar para as ruas à noite da mesma forma. E essa é a prova definitiva de que Thom Yorke faz bem para a alma.

E qual é a sua trilha sonora?

Read Full Post »

mariannef

Depois de interpretar a protagonista do filme Irina Palm, de Sam Garbaski, Marianne Faithfull resolveu voltar para a música, com o lançamento do álbum de covers Easy Come Easy Go. O álbum, que estará a venda a partir de 9 de dezembro, já pode ser baixado no iTunes pelos europeus, e também já caiu na rede para todo mundo que quiser ouvir. Quando ouvir o álbum atentamente darei minha opinião, mas me chamou a atenção (positivamente) não só o repertório escolhido por Marianne como as participações especiais do álbum. Não costumo gostar muito de discos que trazem mil convidados especiais, porque normalmente poucos têm alguma relevância nas músicas, servindo apenas como jogada de marketing para alavancar os lucros do CD. Mas, neste caso, os convidados são maravilhosos: Rufus Wainwright, Cat Power, Nick Cave, Antony Hegarty (que, aliás, esclipsou totalmente a cantora na faixa em que participou, Ooh baby, baby), Keith Richards e até Sean Lennon. Além disso, o repertório vai de Billie Holliday, Leonard Bernstein, Morrissey, Dolly Parton e Brian Eno. Let’s see. Dá para ouvir um aperitivo na página do myspace da cantora.

Read Full Post »

Um belo dia, começo a descobrir novas bandas. Alguém me indica um artista; vou atrás, descubro mais um do mesmo estilo, e outro, e outro… É uma cadeia de sons infinita – Bloc Party, The Gossip, Klaxons, The Raconteurs, Metric, Peter Bjorn & John, Killers… poderia continuar citando muitos outros que descobri recentemente, e que fazem parte da minha playlist diária.

Entretanto, chega uma hora em que nada mais funciona. Todas as músicas parecem barulho. Começa a dor de cabeça, a impaciência e a sensação de que não existe nenhuma música que possa salvar o dia.

E é nesse momento que eu me lembro.

Ah, querido, como posso esquecer você? Não importa quanto tempo passe, você sempre está aqui, lindo, poético e perfeito. Todos ficam para trás, mas você se reinventa. Não sei dizer quantas fases você já teve, e quantas ainda terá. Mas eu acompanho todas, o mais perto possível, sem dizer uma palavra. Em todos os momentos, existe uma música sua acompanhando cada passo. Quando todas as músicas se esgotam e eu não quero ouvir mais nada, você aparece com sua voz rouca, seus cigarros e sua figura única, de quem não espera nada da vida.

E ele nunca pára. Esses dias, colocou em seu Site para donwload gratuito a linda Dreamin’ Of You, do novo álbum Tell Tale Signs – The Bootleg Series Volume 8. O vídeo mostra a história de um homem que pirateia músicas (interpretado pelo ator Harry Dean Stanton) de Bob Dylan, e, após compilar aquelas que acredita serem as melhores, imprime uma foto do artista e nomeia o álbum de Tell Tale Signs – The Bootleg Series Volume 8.

Ah, que saudade! É bom vê-lo de volta, melhor do que nunca. E ainda dói aquele show aqui no Brasil, tão caro que me impediu de vê-lo.

Dreamin’ of You traz de volta muitas memórias – de suas canções, de suas fotos, de seus cigarros, de suas entrevistas. Tantos tentaram recriá-lo, mas você permanece um enigma. Cat Power já disse, mas preciso repetir: “Can you please be my man?”

“I believe in you even on the morning after

Read Full Post »

Older Posts »